MINHA PRIMEIRA VEZ COM UMA TRAVESTI

MINHA PRIMEIRA VEZ COM UMA TRAVESTI

O que relato a partir de agora nesse conto é real, recente e incrivelmente excitante.

Por algum motivo ultimamente estive achando o sexo muito monótono, então resolvi me aventurar em novas brincadeiras e tendências, e assim comecei a me interessar por vídeos pornôs de travestis, quando assistia a esses vídeos ficava super excitado, achava tudo lindo principalmente cenas onde o homem penetrava a travesti e ao mesmo tempo punhetava aqueles membros gigantes, então resolvi procurar no MEFODE.NET,  rapidamente encontrei o que queria e liguei para marcarmos algo. Pedi para ela me adicionar no whatsapp e ela prontamente me atendeu.

No whats ela se mostrou muito atenciosa e divertida,  uma  mulher verdadeira, ela foi logo se oferecendo pra abrir sua webcam e pediu pra me ver também pela minha, quando sua imagem se abriu na câmera eu tive uma surpresa, era uma travesti linda, mais bonita até do que as que eu via nos filmes, rostinho feminino angélica, seios lindos, e estava com uma calcinha minúscula, a todo tempo vendo minha cara de bobo e sorrindo perguntava se eu gostava do que via, eu disse que sim mais tinha algo que era novo pra mim, e que eu ainda não tinha visto, ela sorriu e afastou a calcinha de lado me revelando aquele membro enorme que segundo ela media 19 cm, eu fiquei fascinado, ela começou a se masturbar na frente da câmera, e após 10 segundinhos parou, se sentou e instantaneamente fechou a cam dizendo: “mais que isso só pessoalmente gato”.

Separei uma grana , e a partir daí esperei o momento mais oportuno pra ligar pra minha “deusa”. Uma bela noite livre de qualquer compromisso, pensei que fosse a oportunidade, liguei e logo ela me atendeu, muito simpática no telefone, marcamos para 20:00 horas, ela me mandou ir direto para o motel que nos encontraríamos lá, eu disse que preferia buscá-la em um local marcado, ela concordou, marcamos de frente um supermercado super movimentado perto do centro de Curitiba, cheguei com antecedência de cerca de 20 minutos e esperei por ela que chegou religiosamente no horário marcado. Olhei pelo retrovisor e a vi descendo da garupa de uma moto, se dirigiu lentamente e super discreta ate meu carro, eu destravei as portas, ela abriu e com uma voz doce, mais com um pequeno resquício masculino, me perguntou se era eu que estava esperando por ela, eu disse que sim, aquela “gata” maravilhosa adentrou em meu veiculo, e calmamente me cumprimentou dando um beijinho em minha bochecha, dizendo estar surpresa, que pela voz me imaginava ser um homem, mais velho, e que a surpresa era ótima, pois ia adorar sair com um garotão. Me dirigi a um motel de minha preferência, quarto barato e sem muito luxo.

Ela estava vestindo uma calça jeans muito apertada que marcava sua bunda deliciosa, uma blusinha colada ao corpo, e sobre a blusinha uma jaqueta clara, cabelos lisos e soltos, ela estava linda naquela noite, e ao entrar no quarto ela já foi se despindo daquela roupa toda, de pé sobre a cama, e me chamando pra perto dela começou também a me despir, tirou minha camiseta, eu mesmo tirei minha calça e tênis, ela ficou apenas de calcinha e eu de cueca, nos ajoelhamos um frente ao outro, e começamos a nos beijar ardentemente, enquanto me beijava ela já foi tirando meu pau pra fora da cueca e começou a me masturbar, parou de me beijar e enquanto me masturbava desceu a boca ate meu mamilo direito dando beijinhos e lambendo-o, a sensação era maravilhosa, ela então desceu mais a cabeça alcançando com a boca meu membro que a essa altura estava rijo e duro como pedra, sua boca é macia como veludo, a destreza pra chupar um pau é inigualável, boca feminina nenhuma me deu tanto prazer em um boquete tão bem aplicado, eu estava indo ao céu com aquelas mamadas tão saborosas e dedicadas, ela adorando o que fazia, eu podia ver em seus olhos quando ela os abria e olhava rapidamente para ver as expressões de meu rosto, depois de um bom tempo chupando ela se levantou e disse baixinho em meu ouvido: “quer tentar gato?”.

Eu fiz sinal positivo com a cabeça, ela então se deitou na cama, eu desatei os lacinhos laterais de sua calcinha revelando aquele membro enorme, que pessoalmente parecia ter mais de 19 cm, como foi declarado por ela, eu estava ansioso, curioso, nervoso, com medo, e ao mesmo tempo cheio de tesão e vontade de meter a mão naquele pau gigante e depois a boca, levei então minha mão a aquele membro que aquela altura estava meia bomba, não estava completamente duro, e comecei a masturbá-la lentamente, e aquilo foi crescendo e tomando forma em minha mão, era o primeiro pênis que eu tocava a não ser o meu é claro, e eu estava adorando, ela me olhava e gemia, como que pedindo que eu chupasse logo, e eu cheio de gula, mais ainda desajeitado levei minha boca ate seu pau, comecei então a imitar o que ela havia acabado de fazer em mim, e estava mamando com gosto, adorando o sabor daquele pau todo melado que aquela altura soltava gotas e mais gotas de seu pré-gozo em minha boca, eu estava me deliciando, já estava todo babado, e a cada vez que descia minha boca conseguia ir mais fundo, sentindo aquele pau na minha garganta já, ela gemia, falava sacanagens, parei então de chupar, me deitei sobre ela, e comecei a beijá-la, ela sentia o gosto do próprio pau, e eu sentia o gosto do meu, nos abraçávamos forte, nossos membros se esfregavam como se um quisesse entrar dentro do outro, ela então ficou em posição de frango assado e me pediu que eu a penetrasse logo, pois estava louca de desejo, coloquei uma camisinha e a obedeci, de vagarzinho comecei a penetrar seu cuzinho delicioso, meu pau entrava e saia daquele buraquinho enquanto ela gemia, ela gemia muito e me pedia pra não gozar pois queria que gozassemos juntos e eu gozasse em sua boca, então fiquei metendo gostoso naquele cuzinho ate meu limite, ate quando senti que ia gozar, ela me perguntou se eu queria tentar, se eu queria experimentar, eu disse que naquele dia não, que ficaria pra próxima, ela sorriu, pegou meu pau e começou a me masturbar e me chupar, eu me virei em sentido contrario fazendo o mesmo nela, aquilo era tão novo, tão confuso e ao mesmo tempo tão gostoso, eu estava em estase era o melhor orgasmo de minha vida, e minutos depois de tantas chupadas e masturbação não agüentei e me entreguei a um gozo extremo e intenso, parecia jorrar litros de porra, e o mesmo aconteceu com ela, seu pau latejava, eu sentia que ela já ia gozar, então comecei a chupar com cada vez mais vontade até que ela gozou e gozou muito dentro de minha boca, eu estranhei o ato e o sabor, e instintivamente expeli de minha boca toda aquela porra espalhando-a por sua bunda e pelo meu peito, estavamos nós dois todos sujos de porra, ela me abraçou, me beijou e chamou-me para um banho, durante o banho, nos beijamos ainda por um bom tempo, ela se lavou e ajudou-me a me lavar, nos vestimos, paguei a ela o combinado e que valeu cada centavo e fomos embora, com a certeza de outro reencontro, só não sei quando.

Atenção: O MeFode.net não é uma agência, mas sim um veículo de divulgação e propaganda. Nós não nos responsabilizamos pelo que aqui for anunciado, uma vez que este é de única e exclusiva responsabilidade de seus anunciantes. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS