A Identidade da Mulher do Século XXI

A Identidade da Mulher do Século XXI

 

 

 

 

A mulher do século XXI não é somente uma mulher sem identidade, mas uma mulher totalmente iludida com o próprio sucesso. É uma mulher que vê o mundo de um ponto de vista totalmente equivocado e leva as coisas sempre para o lado de uma "meritocracia" que só existe na cabeça dela. A sensibilidade da mulher moderninha é uma fraude. As mulheres não aceitam de modo algum os homens mais limitados do que elas em qualquer área da vida!

 

Tanto os homens do passado, quanto os homens do presente aceitam sem qualquer problema mulheres que possuem menos recursos. Agora, as mulheres dos dias de hoje não aceitam homens com menos recursos de maneira alguma. Elas usam as conquistas delas pra exigirem ainda mais dos homens!

 

Os homens sabem disso. Não é a toa que mulheres cheias de títulos e que ganham bem possuem dificuldades para arranjar marido. Elas simplesmente não sabem lidar com o sucesso e tratam os homens de maneira grosseira e egocêntrica.

 

A mulher educada pelo feminismo idealiza a vida do homem, mas não age como um homem. Ela só quer o lado bom de ser homem! A mulher não idealiza, por exemplo, a aceitação que o homem tem por mulheres mais pobres e com menor escolaridade.

 

A mulher moderna idealiza todas as identidades vencedoras masculinas. Elas querem ser o homem rico, o empresário bonito, o cientista reconhecido, o homem que possui a vida sexual farta. Essas mulheres são tão loucas, que se esquecem que, esse homem ideal, que concentra todos os sucessos masculinos numa só pessoa, não é fácil de encontrar nem na realidade. Os homens não realizam tudo o que eles querem. Alguns são cientistas, outros são empresários, outros são mulherengos. Enfim, são pouquíssimos homens que realizam todas essas imagens de sucesso.

 

Essa identidade vencedora, de uma mulher que imita todos os sucessos masculinos é o resultado de um profundo complexo e de uma profunda raiva contra os homens. As mulheres não invejam somente o sucesso histórico dos homens, mas querem superá-lo. Então, elas levam tudo para o lado da vingança, da revanche e isso está enraizado no comportamento das mulheres do século XXI.

 

Humildade é uma palavra que não existe no vocabulário da mulher moderna. A maioria se torna arrogante e trata os homens com menos recursos como inferiores. Essa postura é típica da mulher do século XXI.

 

O fracasso do feminismo é evidente! O fracasso do feminismo consiste no fato de que à lógica feminazi é incompatível com as pretensões da mulher heterossexual. A mulher moderna tem ojeriza em ser dona de casa, mas simplesmente não consegue ser feliz sem a maternidade e o casamento! O paradoxo está aí.

 

A mulher moderna acha que a maternidade atrapalha as pretensões femininas de sucesso profissional e financeiro, já o casamento seria uma instituição patriarcal que a aprisionaria. A mulher do século XVI é muito fresca e mimada, reclama de tudo e se acha o ser mais importante do universo.

 

As mulheres do futuro irão reclamar que faltam homens mais ricos do que elas pra casar. Ora, são elas mesmas que defendem a mulher ganhar mais do que o homem no mercado de trabalho!

Algumas vão dizer que buscam somente a igualdade. A mulher que ganha o mesmo que o homem, não vai achá-lo igual, mas um inferior! A igualdade só existe no discurso, porque na prática, as mulheres usam as conquistas delas, para rebaixarem os homens e exigirem mais deles.

 

A vida sexual da mulher pode ser ruim, mas se namorado ou o marido é um troféu, isso segura a relação. A mulher prefere o sexo ruim com o troféu do que um sexo excelente com um anônimo que nenhuma outra quer!

 

As mulheres em geral não ligam pra sexo e só usam o sexo como um meio de segurar troféus! Quando a mulher diz que o sexo é ruim, ela quer dizer, que o namorado ou o marido não dá a ela o reconhecimento social que ela busca. Então, ela procura num outro homem, uma vida de ostentação compatível com as fantasias dela de valor e poder.

 

As mulheres fingem muito durante o sexo. Elas gemem e fingem orgasmos apenas para agradar o troféu. Elas não gozam e dizem que gozaram muito. A anulação delas na cama é pura barganha sentimental! Elas não se anulam por qualquer um. A mesma mulher que tem verdadeiro nojo de tudo o que é sexual diante de betas, pobres e feios, é super solícita diante de um troféu e aceita até a dor pra agradar um homem que ela considera um troféu. Muitas preferem um sexo sem prazer com um troféu, do que um sexo bom com um beta que faz absolutamente tudo na cama pra agradá-la.

 

As mulheres são "sadomasoquistas". Elas são incapazes de valorizar o esforço de homens mais limitados, por mais amorosos, sensíveis, bonzinhos e solícitos que eles sejam. Por terem um instinto "louco", elas jamais vão preferir um beta, ainda que o beta seja muito melhor na cama do que o alfa. Simplesmente porque o beta só serve, quando elas não possuem mais opções. Os alfas dão aquilo que elas buscam: visibilidade social, através de competições de vaidades.

 

Elas só se entregam de corpo e alma aos troféus, porque eles são importantes para os objetivos sociais que elas buscam. Assim, elas encenam o papel da fogosa, da safada, da ninfeta, mesmo quando estão odiando tudo aquilo! Mas depois de muitos anos, a ninfeta se torna uma hipocondríaca que vive com enxaqueca e muita dor de cabeça!

 

Mas nem por isso elas se sentem infelizes e frustradas, até porque no outro dia, elas estarão desfilando no carro dos maridões troféus e estarão comprando no shopping com as crianças e fazendo viagens. A realização da mulher está nisso e não na vida entre quatro paredes. Os homens atualmente são descartáveis para as mulheres. Elas apenas os usam para uma vida de ostentação social.

 

A mulher colocou o fetichismo emocional e instintivo acima de qualquer ideologia saudável e positiva. Ter um cafajeste rico, bonito e famoso é muito mais importante para as mulheres do que a honra e o caráter. Se elas realmente valorizassem o que é saudável, elas fariam uma revolução social. Elas têm poder para isso e sabem muito bem disso. Às vezes, as mulheres de hoje parecem loucas, pois elas regulam a sociedade com os padrões naturais fetichistas delas e depois culpam os homens por essa regulação, que elas mesmas apóiam e incentivam. Se as mulheres valorizam cafajestes, qual é a credibilidade que elas possuem pra criticar os padrões duplos?

 

As mulheres desejam os padrões duplos, porque o fetichismo delas apóia a hipocrisia dos alfas. O falso moralismo do alfa é apoiado pelo complexo de superioridade das mulheres, uma vez que elas tendem a valorizar os homens que criam um clima emocional de desafio, adrenalina e risco nos relacionamentos. Só existe o falso moralismo que as mulheres aceitam e apóiam. Portanto, todo falso moralismo é incentivado pelas mulheres que não o boicotam.

 

As mulheres estão cada vez mais fetichistas. Mas isso não é espantoso para quem conhece a natureza feminina. O ditado popular diz que as mulheres não gostam de homem, mas de dinheiro. Esse ditado popular não está errado, ele está incompleto.

 

Riqueza é apenas um atributo de poder dos homens. Poderíamos mudar a frase e dizer: “Mulher não gosta de homem, mas dos atributos de poder dos homens.”

 

A mulher gosta dos atributos de poder do homem. Isso pode ser simplificado da seguinte forma: a mulher gosta de poder. Os atributos de poder do homem são a condição do fetiche feminino. O fetiche é aquilo que torna o homem interessante perante a mulher. Logo, as mulheres gostam de fetiche.

 

O poder não é objetivo último da mulher, mas o meio. O que a mulher realmente valoriza é o fetiche.

 

As mulheres modernas não gostam de homem, pouquíssimas mulheres atualmente realmente gostam de homem. Se vocês repararem bem, tudo o que as mulheres valorizam são fetiches.

 

Exemplos não faltam: Homem rico, Homem bonito, Homem bombado, Homem com cara de mau, Homem aventureiro, Homem cafajeste, Homem famoso, Homem com profissão de prestígio, Homem assediado, Homem casado, Homem bandido, Homem estrangeiro, Maconheiro, Homem safado, Homem com pegada, Homem com carro, etc.

 

O homem bonito não tem mais valor para a mulher moderna, ele é apenas um fetiche. Há homens bonitos encalhados, porque são tímidos ou pobres e isso prova que as mulheres modernas não gostam de homem bonito, mas da função fetichista que o homem bonito desempenha.

 

Isso destrói completamente o argumento das mulheres promíscuas, supostamente resolvidas, que dizem que levariam um homem bonito para casa e cuidariam dele.

 

A maioria delas é incapaz disso, pois elas não gostam de homem por si só, mas do fetiche que ele representa. Se o mesmo homem bonito “valorizado” for extremamente tímido ou pobre, a mulher o considera insuportável.

 

Portanto, o homem tem que ter beleza, mas não pode ser tímido demais, nem pobre demais. Tem que ganhar bem, ter carro e ser extremamente seguro. Ou seja, as mulheres não querem o homem, mas as funções fetichistas que eles desempenham.

 

As mulheres só aceitam o homem com algum tipo de poder. Mulher nenhuma é difícil para homens poderosos! Mesmo as mais conservadoras, as mais religiosas, caem fácil diante do poder.

 

Diante de um homem poderoso, elas passam por cima dos próprios valores morais, passam por cima da família e até do orgulho próprio.

 

São capazes, inclusive, de colocar a própria segurança em risco para ficar junto do sujeito. O poder masculino é capaz de desarmar qualquer uma, e só pode ser sobreposto por outro poder masculino superior.

Atenção: O MeFode.net não é uma agência, mas sim um veículo de divulgação e propaganda. Nós não nos responsabilizamos pelo que aqui for anunciado, uma vez que este é de única e exclusiva responsabilidade de seus anunciantes. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS